domingo, 15 de setembro de 2013

O SIGNIFICADO DE MISSÕES
“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” - Atos 1:8

 O SIGNIFICADO DE MISSÕES
“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” - Atos 1:8

 Este texto de Atos 1:8 trata de missões urbanas ( Jerusalém ), missões nacionais (Judéia e Samaria) e missões estrangeiras ou transculturais ( até aos confins da terra ). O vocábulo “missões” não é bíblico, vem do latim “missio” = enviando. Houve tempo em que “missões” era entendida como tudo o que tinha a ver com o trabalho da igreja realizado em outros países. Isto foi mudando, e hoje, entendemos MISSÕES ( no plural ) como a tarefa da Igreja; e MISSÃO ( no singular ) como o nome das agências missionárias e atividades que tem a ver com a implementação desta tarefa. A melhor tradução para o texto da Grande Comissão de Mateus 28:19-20 é: “ Indo, fazei discípulos...”. Missões urbanas é, portanto, a ação de evangelização da igreja na sua própria cidade, no templo e de casa-em-casa, como vemos em Atos 5:42 “E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo.” , e pelas ruas da cidade “Entrementes, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra” - Atos 8:4. Missões urbanas é a Igreja “enviando” seus membros, é a Igreja “indo” em cumprimento à grande comissão.





Missões Urbanas


Plano de Deus Para a Igreja do Século XXI
A Igreja Apostólica era a célula mater. Ela representava toda as Igrejas que viriam a ser plantadas. Desta forma, o comissionamento feito pelo Senhor Jesus em Mateus 28:19-20 e Atos 1:8 é também para nós.
A igreja recebeu um mandato divino e deve cumprí-lo para não ser achada em falta. Evangelizar não é uma alternativa ou opção para a igreja. É uma ordem dada pelo Senhor da Igreja. O cristão é servo de Cristo. Ao servo não cabe outra alternativa senão a de obedecer a ordem do seu Senhor. Nós somos responsáveis pelas almas perdidas ao nosso redor, até que lhes falemos do amor de Cristo. Um dia todos seremos chamados para prestar contas do que fizemos e do que deixamos de fazer. Que justificativa iremos apresentar por não termos falado de Cristo? A responsabilidade é coletiva, mas também é individual.
Conforme vimos anteriormente, há três áreas ou níveis para o desenvolvimento da ação missionária da igreja. “Missões Urbanas”, “Missões Nacionais” e “Missões Estrangeiras (ou transculturais)”. Há muitas igrejas envolvidas com missões transculturais e/ou nacionais, que possuem Departamento de Missões super-estruturado e funcionando maravilhosamente bem, porém com atuação zero na área de missões urbanas. Não fazem evangelismo externo ao redor da igreja, e tampouco dispõem de estratégias ou programa de missões urbanas. Vivem isoladas da comunidade ao redor e enclausuradas. O índice de crescimento destas igrejas normalmente é insignificante, em muitos casos negativo.
“Missões urbanas” é prioridade número um para a igreja, segundo a ordem do Senhor ( “e sereis minhas testemunhas, tanto em Jerusalém...” ). É o grande desafio para a igreja neste final de século XX e início do século XXI.



A BÍBLIA
Eu, a Bíblia, estou em suas mãos. Quero ser uma bênção para você. Então atente para as verdades que lhe digo e para os conselhos que lhe dou ao pórtico de qualquer leitura de minhas páginas:
1. sou o Livro dos Livros Nenhuma criação ou obra humana se sobrepõe a mim, porque sou a palavra inspirada do Senhor (II Tim. 3:16);
2. não sou livro de ciências, embora a elas faça algumas referências: sou o livro do coração de Deus para o seu coração carente de alimento espiritual. (Sal. 42:1-2);
3. apresento cenas, painés, histórias, provérbios, poesias, lutas de reis, fatos sociais vulgares, intrigas palacianas, atitudes nobres, procedimentos vis, fracassos e vitórias de grandes personalidades, santos e ímpios, e faço-o com inteira imparcialidade. Sou a verdade (João 17:17);
4. entro em aposentos de reis e príncipes, em casebres paupérrimos, em escritórios de sábios e de inteligências menos aquinhoadas, para lhes anunciar o maior amor, o amor de Deus em Cristo Jesus. Sou o livro mais popular do mundo (Is 11:9)
5. vivo na mente e no coração de milhões de criaturas. Se eu desaparecesse da face da Terra agora, grande parte do que tenho e sou seria reconstituída por leitores meus e crentes piedosos que não se envergonha de mim (Rom 1:16);
6. desejo ser pão para a sua fome da verdade (João 6), água para a sua sede de vera Justiça (Atos 17:3), bálsamo para as suas angústias e sofrimentos morais (Mat 11:28), bússola para todas as suas peregrinações neste mundo (Sal 119:19);
7. por mim aprenderá que há um Deus só, um Mediador entre o Pai e você (I Tim 2:5), um Mestre e Senhor (João 13:13) - JESUS. Esperança nossa (I Pe 1:3). Amigo sem par (João 13:1);
8. Moisés teve de tirar as sandálias dos pés para pisar a terra santa (Ex 3:5). Descalçar as sandálias da vaidade humana, porque vai meditar na Catedral do Espírito. Em mim fala o Senhor (1:2);
9. não me manuseie com altivez acadêmica, mas com humildade, com o santo propósito de ouvir a mensagem de Cristo, a luz do Mundo (João 8:12). Diga como o jovem Samuel: - "Fala, Senhor, porque o teu servo ouve". (I Sam 3:5, 10);
10. com oração e sossego, com amor e fé, com singeleza de coração, aproxime-se de mim e o Deus da verdadeira Paz será com você eternamente (Fil 4:9).
Autor Desconhecido





 Bíblia ou Revelação ?

        SUFICIÊNCIA DAS ESCRITURAS 20/10/2003

SL 119:105: Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho

CONFISSÕES DE FÉ
FUNDAMENTALISTAS: A bíblia ( nos seus 66 livros ) é plena, exclusiva, verbal, inerrável e infalivelmente inspirada por Deus, sendo ela nossa única regra de fé e prática
NO QUE A ASSEMBLÉIA DE DEUS CRÊ : ART 2: Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão ( 2 Tm 3:14-17 ).
CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER : Todo conselho de Deus concernente a todas as coisas necessárias para a glória dEle e para a salvação, fé e vida do homem, ou é expressamente declarado nas escrituras ou pode ser lógica e claramente deduzido dela. À escritura nada se acrescentará em tempo algum, nem por novas revelações do Espírito, nem por tradições dos homens.
    Uma coisa em comum que têm todas as igrejas históricas é a bíblia como única regra de fé e prática. Isso ocorre também na confissão de fé Batista e nos 28 artigos da breve exposição Congregacional.
    Foi com a bíblia na mão que Lutero defendeu o cristianismo e alertou as pessoas para a autoridade da bíblia. As indulgências eram contra a bíblia. Ele achava que iria ser martirizado e que fariam com ele o mesmo que fizeram com John Huss, quando o queimaram vivo.
    Diante do imperador Carlos V o homem que o interrogava perguntou-lhe como ousava desafiar toda a igreja e como podia concluir o único certo e todos os demais errados; como todos os papas podiam estar errados, todos os cardeais, toda a história da igreja? Será que Lutero podia desafiar todos eles? Não seria a hora de Lutero negar a todos aqueles escritos e confessar que estava errado? John Eck disse-lhe: É o momento da sua última chance de renunciar a seus erros.
    Lutero respondeu: "Não vou usar de mais argumentos e a menos que seja convencido pela bíblia, não aceito a autoridade papal, nem os concílios de tradição católicos. Todos eles se contradizem. Minha consciência está cativa à palavra de Deus. Tudo que posso fazer é não negar meus livros, pois não posso ir de encontro à minha consciência. Ajuda-me Senhor Deus, amém!.
       
Texto desenvolvido por Solascriptura